quinta-feira, 20 de abril de 2006

Multa na Cidade

Já tomou? Tomei. Várias. Não sou fábrica de multinhas, mas tenho várias na carreira. Multas de estacionamento, cinto, farol, velocidade... Algumas... Mas acostamento?

São Paulo. Cidade grande. Plena quarta-feira. Antivéspera de feriado. (o 2º de 3 consecutivos!!! Maravilhaaaaa!!!). Todos com pressa. Trânsito insuportável. Marginal Pinheiros. Frioooo. 8:30hs da matina. Porque não? Já fiz isso algumas vezes. Nada aconteceu. Todos os “amarelinhos” (que todos chamam de “marronzinhos”, mas eu quero ser diferente, rssssss, pq a roupa deles é mais amarela que marrom, hoje em dia) estão dormindo. – aliás, quando a gente precisa deles é sempre assim: eles sempre estão em outro lugar, provavelmente dormindo, ou assistindo, ou lendo, ou ouvindo; mas nunca a nossa disposição.

Enfim, decidi eu e mais alguns se dirigir ao acostamento, propriamente dito. Lá fomos. Vrum. Vram. E Pá!!!!!! Começa uma muvuca de carros mais à frente. “Hum... deve ter algum caminhão parado. Vou imbicar e voltar pra faixa da direita”.
Pronto. De novo no anda, para, anda, para.

Calmaria. Nada acontece. “Deixa-me imbicar o carro no acostamento e tentar espiar alguma coisa...” Zapt. Ahhhh!!!! O “amarelinho”!!! Caneta na mão e zupt, zapt, risc risc. Caneta nela. (e em mais um tanto que estava na anotação do bloquinho nas mãos do indivíduo.)
Mas... Será? Já vi vários olharem pra mim e nunca, se querer, em momento algum, chegou uma multa em casa. (só quando tinha a certeza do ocorrido).
Mas então. Pq ele acenou com a mão e mandou que eu voltasse com a frente da minha caranga pra devida faixa da direita – mandando eu ficar quietinha ali e seguir o roteiro correto, sem estripulias?

Posso falar a real. Sampa está sem condições de agüentar o fluxo de carros, motos, caminhões e similares durante as manhãs e entardeceres. E também durante o dia todo. E pra ser mais verídica, nos finais de semana se pega um belo trânsito também. A cidade precisa de melhoras urgentes no transporte público. – o problema é mudar a mentalidade de quem está acostumado a trabalhar de carro.

Mas eu, com minha maravilhosa mente, pensei em uma solução: Que tal se mudássemos os horários de trabalho, para que pudéssemos redistribuir o fluxo por toda cidade? Aí eu poderia entrar as 10:30hs no trabalho e sair às 20:30hs. (já chego mesmo todo dia as 22:00hs em casa)!!! Mas a vantagem é que eu teria algumas horas a mais de sono. Não seria uma maravilha?!?!

Solução resolvida. Mandarei um email hoje pro Kassab.

P.S - 11:55hs: Devido à um pensamento mais intensificado (e lembrete de amiga), resolvi mudar novamente meu horário de trabalho: a entrada continua as 10:30hs, mas a saída será as 16:30hs. A jornada de trabalho será diminuída!!!

Pronto. Agora sim. Mandando mail pro prefeito!!!

4 comentários:

*drica* disse...

essa foi boa começar a trabalhar as 10:30, mas não gostei até as 20:30 hehehehehehe mas não deixa de ser uma alternativa :)

Marilia disse...

Aqui em Porto Alegre, apesar de não termos os engarrafamentos, temos os "azuizinhos": guardas de trânsito que servem como um belo exemplo de trabalhadores que realmente cumprem sua função (alguns juízes e políticos em geral poderiam se inspirar neles, não) e adoram riscar e riscar seus caderninhos por aí, dando seus veredictos sobre o comportamento de bons e maus motoristas.

Quem dera eu pudesse trabalhar à tarde, até à noite. Não iria ajudar muito a diminuir engarrafamentos, afinal eu uso o "expresso-canela", mas eu renderia bem mais.


Fala com o Kassab, sim.

Beijos grandes.

§ilvia disse...

Você, hein Carol?

É uma idéia sim. Já mandou o email? Depois me conta no que deu tá bom?

Moro em Minas Gerais. Numa cidade com 500.000 habitantes (Betim). O trânsito aqui é super tranquilo, como tudo. AFFF... Quero me mudar para São Paulo!!

Linkada no Bate-Coração! Quer um selinho assim? Hahaha...

Beijos.

Greengirl disse...

Eu simplesmente AMO feriadões! :)

B
j
u
s